13/04/2012

Nunca fui como todos

Nunca fui como todos
Nunca tive muitos amigos
Nunca fui favorita
Nunca fui o que meus pais queriam
Nunca tive alguém que amasse
Mas tive somente a mim
A minha absoluta verdade
Meu verdadeiro pensamento
O meu conforto nas horas de sofrimento
não vivo sozinha porque gosto
e sim porque aprendi a ser só... 

Florbela Espanca (Vila Viçosa, 8 de Dezembro de 1894Matosinhos, 8 de Dezembro de 1930), batizada como Flor Bela de Alma da Conceição Espanca, foi uma poetisa portuguesa. A sua vida, de apenas trinta e seis anos, foi plena, embora tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade, carregada de erotização, feminilidade e panteísmo.

Amara Mourige

7 comentários:

  1. Una mujer interesante, el poema precioso, gracias por compartir.
    buen fin de semana.
    un abrazo.

    ResponderExcluir
  2. Linda escolha!!!beijos,ótimo fds,chica

    ResponderExcluir
  3. que bonito querida Amara. é uma das grandes poetisas do mundo, gosto mto de Florbela Espanca.

    um excelente fim de semana pra vc e os seus, querida amiga

    ResponderExcluir
  4. Amara,que tocante a poesia que escolheu!Me identifiquei um pouco tb!Bjs e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  5. Belíssima postagem!!!
    Como foi teu sábado???
    E hoje,domingo,como está sendo???
    Tudo muito lindo,pois sendo linda como és...embelezas tudo!!!
    Pára,né...não me chama de puxa-saca...sou autêntica,só escrevo o que realmente sinto!!!!!
    Beijão para ti,blogueira querida!!!

    ResponderExcluir
  6. Crista, minha linda obrigada pelo o carinho!!
    Uma ótima semana>
    Bjss

    ResponderExcluir
  7. Obrigada por compartilhar esta pérola.
    beijinhos...

    ResponderExcluir